quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Entrevista Tito Falaschi (Outubro - 2010)



Entrevistamos esta semana o baixista e vocalista, além de produtor musical, Tito Falaschi. Ele nos conta um pouco de sua trajetória em um papo descontraído sobre a sua primeira banda Symbols, onde tocou com seu irmão Edu Falaschi, sua trajetória na música e seu retorno a cena Heavy Metal com a banda Illustria.

Confira !!!


Poucas pessoas devem saber mas o seu nome real é Rodrigo. De onde veio o apelido Tito?

Tito – Meu apelido Tito foi meu irmão Edu que me deu, quando eu era ainda criança, (Risos).

Qual foi seu primeiro contato com a música e como chegou ao Heavy Metal?
Tito – foi desde criança, pois meu pai e meu tio gostavam muito de MPB, então desde pequeno eu acompanhava ele e os amigos tocando samba, o metal apareceu com o meu irmão quando ele montou sua primeira banda e desde lá não desgrudei do Heavy Metal.



Por muito tempo você trabalhou ao lado de se irmão (Edu Falaschi, hoje vocalista do Angra e Almah), no Symbols. Como era a convivência entre vocês?

Tito – a melhor possível, pois nós somos muito amigos, pois tem irmãos que não se dão bem, já com a gente é diferente, somos muito companheiros um do outro.


Ainda nos remetendo aos tempos da banda Symbols, você atuou como vocalista e baixista da mesma. Era difícil de realizar as duas tarefas simultaneamente?

Tito – bom, no inicio foi um pouco, mas sempre me dediquei muito á musica, então naturalmente foi saindo.


Como foi para você ver seu irmão saindo do Symbols e ir para o Angra?

Tito – na verdade pra mim foi tranqüilo, pois sempre estarei com ele numa banda ou não, mas pra banda foi mais forte, pois perderia o front, e isso fez diferença.


Tito, eu particularmente notei várias influências de bandas como Dio nos dois primeiros álbuns do Symbols. Essa influência realmente existe? Quais foram as inspirações para a composição destes trabalhos?

Tito – bom, minhas influências são totalmente do Heavy tradicional, como Dio, Iron Maiden, Sabbath, Wasp, etc, mas o Steve Harris e o Bruce e o Dio são as mais aparentes, quando o Dio faleceu me deu uma tristeza assim como quando meus parentes se foram, fiquei muito, mas muito triste mesmo.


Com sua saída do Symbols, você se dedicou a um projeto chamado Solaris que até hoje permanece guardado. A alguma chance deste material ser lançado? A que se deve este arquivamento do material?

Tito – então, esse material esta com Thiago Bianchi, nós sempre nos falamos e pensamos, poxa vamos lançar logo esse trampo, mas nós dois temos a vida muito corrida, com estúdios e outras bandas, mas um dia vamos lançar, e pode estar bem próximo, (Risos).


Um outro fato ocorrido foi sua participação na banda Karma onde você compôs boa parte do material inserido no álbum “Leave Now”, como você chegou a esta banda e porque a saída antes de se registrar o álbum?

Tito - Essa historia é engraçada, eu estava indo para praia, na estrada, ele (Thiago) me ligou, me perguntando se eu gostaria de entrar na banda, e eu disse “pó thiagão, não curto muito tocar prog, ouvir sim, mas tocar não, mas ele me disse que o álbum seria mais metal, moderno, etc, quando fomos acabando de gravar as músicas, fui percebendo que as minhas músicas não eram progs, mas pela influência da galera o que é normal, as outras estavam bem progs, aí sentei com eles explique a situação que eu não iria dar 100% da minha emoção, aí todos concordaram comigo.


A alguns anos, temos visto você envolto com produções de outras bandas. Como você começou a realizar esta função? Quais as bandas que já produziu?

Tito – trabalho com produção de bandas a mais de 10 anos, comecei fazendo a produção do Symbols com meu irmão, depois não parei mais, puts, produzi muitas bandas do cenário underground, mas trabalhei com bandas como, Symbols, Enka, Soulspell, Scars, Alfhein, Menahen,e em prés-produções do Angra, Almah e Shaman.


Como foi ajudar seu irmão na banda Almah?

Tito – é sempre muito bom poder ajudá-lo em tudo que ele me pede, então com certeza foi muito legal e divertido.

Como surgiu o convite para para participar da Metal Opera Soul Spell? O que acha de um projeto deste porte na cena metálica brasileira?

Tito – bom, pra mim o SOULSPELL com certeza deu um upgrade na cena e revolucionou também, pois juntou e junta os mais talentosos músicos daqui, o Heleno Vale, me convidou quando o primeiro CD ia começar a ser trabalhado, desde então estamos juntos nessa, além de agora ele ser meu amigo, né?


Falando nisso, como você vê a cena nacional atual?

Tito – acho que as bandas estão muito boas e com idéias ótimas também, só acho que os fãs estão indo para um lado ruim da coisa, misturando as idéias, julgando trabalho dos músicos que se esforçam muito como se todos fosses produtores ou coisa do gênero, não acho que tenha que ir para esse lado, acho que iria melhorar muito se fosse assim, poxa ouvi e adorei ou ouvi e não curti, mas sem ficar julgando.


Recentemente você voltou a atuar em uma nova banda chamada Illustria. Como foi a reação dos fãs a esta banda? Quais as repercusões do debut “Demons Of War”?

Tito – poxa, foi a melhor possível, os fãs me pediam pra lançar uma banda logo, fazia muito tempo que eu tava parado , quando marquei um show no Manifesto, em SP, lotou e nós ficamos muuito felizes com isso, e a Demons of War agradou muito, mas acho q o CD novo vai agradar mais ainda.


Como você chegou nesta formação da banda?

Tito – através do tecladista Samuel Cirelli, ele me chamou para produzir a banda, ainda com outra formação, mas aí fomos conversando sobre essa hipótese e resolvi entrar para a banda .


Como foi o processo de composição do álbum e quais as inspirações que permearam ele?

Tito – na verdade a maioria das músicas já estavam prontas, pois eu iria lançar um CD solo meu, mas quando entrei levei as músicas junto, mas tem três ou quatro músicas do Samuel também, pois ele é um ótimo compositor.


No ano passado vocês tinham uma apresentação em terras cariocas ao lado das bandas Aquaria e Hydria, sem muitas explicações o nome da banda foi retirado do letreiro da casa de show poucoi antes da abertura dos portões. O que aconteceu?

Tito – foi na verdade uma série de fatos que impediram nossa ida para o Rio, nós ficamos muito chateados com o acontecimento, principalmente eu que nasci na Tijuca e morei em Niterói muitos anos, mas realmente foi melhor deixarmos pra uma próxima já com o CD lançado.


Existe algum plano de tocar no Rio de Janeiro? Quais os próximos passos da banda? Tito, gostaria de agradecer mais uma vez a oportunidade da entrevista e deixar o espaço aberto para você mandar um alô aos fãs.

Tito – estamos acabando nosso CD, e vamos lançá-lo o mais rápido possível, e logo vou querer ir para o Rio tocar pra vocês, estamos negociando com o Sul e Nordeste também, assim que estiver tudo certo já divulgo ok??

Quero agradecer a vocês e muito aos meus seguidores e fãs desses anos todos, e dizer que estou muito feliz com meu estúdio (UNIVERSO AUDIO STUDIOS ) e a minha banda ILLUSTRIA, e que quero fazer o melhor possível pra vocês, um grande abraço a todos!

3 comentários:

Fernanda disse...

Otima entrevista!!! tá ficando chique isso aqui hein, só gente importante ^^

marco disse...

Pô cara, gostei da entrevista, mas devia ter perguntado da nova banda dele com o Nando Fernandes e o Eloy Casagrande, que nem tem nome ainda, mas já tem umas 3 músicas feitas! Não sei nem se você sabia, mas taí a informação! Vlw

Anônimo disse...

A entrevista so fala do passado....e o projeto novo, no fim ninguem sabe se vai rola ou nao....prelogr